quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2010


2010 está bem aí, podemos sentir sua aproximação. Muitos o estão esperando, porque crêem que junto com ele está uma nova oportunidade, uma nova possibilidade de ser feliz – daí a necessidade de expressividade e receptividade de votos de um “feliz ano novo...”

Eu quero que todos, em especial os que andam por aqui, tenham sempre uma maravilhosa vida. Porque a felicidade não está no ano, em um objeto... A felicidade está dentro de nós, no aqui e agora – onde mais ela poderia estar? Se ela não tivesse dentro de nós, nada poderia trazê-la para fora num riso, numa lágrima...

Que todos aprendam a jorrar sua felicidade. Que todos transformem-se em cachoeiras ao invés de permanecerem apenas poços.

Que a beatitude de Deus esteja sobre todos sempre.

Edson Carmo

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A ORIGEM DOS PENSAMENTOS - 01


video

SERMÃO - O que você tem absorvido e trazido para sua vida?


Prevérbios 14:12

Introdução:

Somos bombardeados a cada dia pelo “espetáculo” do mundo. Isso mesmo. Vivemos num mundo que com a mídia bombardeia-nos, com idéias que leva-nos a diversos estilos de vida.

É a mídia que mais contribui no contaminar do nosso corpo, da nossa alma e do nosso espírito, é ela a grande responsável por grande parte de nossas ações.

A mídia está nos rádios, nas televisões, nos jornais, nas revistas, nos outdoors, na Internet, nos ônibus, nos semáforos da cidade, nos restaurantes, enfim em todo lugar que os sentidos humanos podem alcançar.

Porém, é importante saber que, na grande maioria das coisas que vemos, ouvimos, tocamos ou provamos, existe veneno mortífero ou enfermiço. Devemos ter cuidado!

O que você tem absorvido e trazido para sua vida?

Andamento:

É preciso ter consciência do que estamos fazendo com nossas vidas. É preciso perguntar.

01. O que estou aprendendo?
02. O que estou fazendo e plantando?
03. O que vou receber e colher?

Conclusão:

Tudo que fazemos é fruto do que aprendemos e entendemos. Para toda ação tem uma reação. Para todo efeito uma causa. Sendo assim, devemos aprender o que é certo, para fazer a coisa certa, para receber e colher o que é bom.

Veja a história do compositor da música EPITÁFIO

Devia ter amado mais, ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais e até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar

Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos com problemas pequenos
Ter morrido de amor
Queria ter aceitado a vida como ela é
A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar

Cuidado para não terminar sua vida assim!!!


Edson Carmo
Fortaleza - Passaré, 17 de setembro de 2005.

sábado, 12 de dezembro de 2009

SERMÃO - DUVIDA, CRENÇA E AMOR - QUAL A SUA QUALIDADE?


Sermão
Tema: Duvida, Crença e Amor
Texto Bíblico:

Introdução:

Para você encontrar a Deus, você tem que compreender três palavras. A primeira palavra é Dúvida, a segunda é Crença e a terceira é Amor.

Andamento

01 – A Dúvida

A mente duvidosa é a mente que tem uma atitude contrária em relação a Deus.

A pessoa de mente duvidosa ver ou ouve algo de Deus; ela fica contra o que viu ou ouviu. Então, ela racionaliza e encontra um argumento que apóie e defenda a sua Duvida.

02 – A Crença

Há, também, a mente crente. Ela é tal e qual a mente duvidosa, só que de cabeça para baixo. A mente crente é a mente que tem uma atitude a favor em relação a Deus.

A pessoa de mente crente ver ou ouve algo de Deus; ela fica a favor do que viu ou ouviu. Então, ela racionaliza e encontra um argumento que apóie e defenda a sua Crença.

03 – O Amor

Há, então, um terceiro tipo de mente, a mente do Amor, a mente de Cristo. A mente amorosa é a mente que não é contra nem a favor de Deus.

A pessoa de mente amorosa ver ou ouve algo de Deus; ela não fica contra nem a favor.

Na pessoa de mente amorosa, a dúvida simplesmente desaparece. Quando a dúvida desaparece, a crença também desaparece.

Amor não é racionalização ele é comunhão. O Amor não é Dúvida, nem Crença. O Amor é a experiência.

Há pessoas que dizem: “Eu duvido que Deus existe“ e há pessoas que dizem “Eu acredito em Deus”. Qual delas conhece a Deus? A pessoa que tem a mente amorosa, ela nem desconfia de Deus e nem acredita em Deus, ela sabe, ela sente que Deus existe, Deus está em sua vida, porque ela tem comunhão com Ele.

Conclusão:

A mente que duvida luta contra a crença, a mente que acredita luta contra as dúvidas – mas ambas são do mesmo tipo, a qualidade não é diferente. É carne contra carne, não é espiritual.

Quando o amor está em sua vida, nela estará o próprio Deus. Então, você nem duvida que Deus existe, nem Crer que Deus existe, você sabe que Deus existe, porque você O sente. Ele vive em você!
Edson Carmo – MEPB Castelo Encantado
Fortaleza, 26 de julho de 2007.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

SERMÃO - O PECADO E A CRUZ


Sermão
Tema: O pecado tira o homem da presença de Deus
Texto Bíblico: Romanos 3: 23

Introdução:
A raiz hebraica para a palavra pecado significa “perder”; perder a conduta, perder o comportamento, perder a pureza, a santidade, a percepção da verdade... Perder significa não estar presente, fazer algo sem estar presente ali – esse é o único pecado.

Você é a mentira?
Quando você está mentindo, quem está presente?

Você é a violência?
Quando você agride alguém, quem está aí?

Vejamos o exemplo de Pedro:
Pedro disse a Jesus: “Tenha pena de ti”. Jesus o disse: “Para traz de mim satanás, tu me serve de pedra de tropeço!”.

Ora, por quê Jesus não disse, Pedro? Porque não era Pedro que estava ali, Pedro por algum momento tinha se perdido, não era ele que estava ali.

Lembre-se: Satanás é a essência do mal, agir pela essência de satanás é pecado.

Andamento:
01 – O homem se perdeu, separou-se de Deus

O pecado faz separação entre o homem e Deus. O salário do pecado é a morte espiritual.

Deus é espírito, e se o espírito do homem está morto, como ele e Deus podem se relacionarem?

02 – O plano de Deus para encontrar o homem

O plano de Deus para encontrar o homem perdido, pecador é a cruz de Cristo.

O que simboliza a cruz?
A cruz simboliza o encontro do tempo e da eternidade. O tempo é o mundo, a eternidade é Deus.

A cruz é feita por duas peças, uma é horizontal e a outra é vertical. A peça horizontal representa o mundo, a peça vertical representa Deus. Ambos se encontram num ponto, exatamente onde Jesus esteve.

Conclusão:
O horizontal e o vertical, ambos se encontram em um ponto, e esse ponto é o aqui e agora. A partir do aqui e agora você pode seguir em duas jornadas: a sua jornada no mundo e a em Deus. A sua jornada no tempo e a sua jornada na eternidade.

Edson Carmo – MEPB Castelo Encantado
Fortaleza, 21 de junho de 2007

domingo, 6 de dezembro de 2009

SERMÃO - A DIFICULDADE DE RELACIONAMENTO ENTRE O MUNDO MATERIAL E O ESPIRITUAL


Sermão
Tema: Não havia problema na fala de Jesus, e sim nos ouvidos dos ouvintes
Texto Bíblico: Marcos 4:10 -12

Introdução:
O grande problema; a grande derrota do ser humano, é que ele não gosta da luz, e sim, das trevas. Quando uma pessoa é treva e a outra é luz, então, nenhuma comunicação há entre as duas, isso é impossível.

Por que você acha que Jesus não foi compreendido?

Você lembra do que Jesus disse ao mestre Nicodemos?

Ele disse:

“Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais?“ João 3:12

O problema não era que Jesus falava na linguagem celestial e Nicodemos só conhecia a linguagem terrena. Não, esse não era o problema. Jesus utilizou uma linguagem terrena para se comunicar e mesmo Nicodemos conhecendo – e bem – a linguagem terrena, não pode compreender porque estava em trevas.

Jesus não usou uma linguagem do outro mundo, ele não usou uma linguagem inadequada – não, de jeito nenhum –, as pessoas era que não tinham ouvidos para ouvi-lo!

As coisas espirituais são dadas em linguagem terrena, mas para ouvi-las é preciso ter ouvidos espirituais.

Andamento:
01-– O problema do homem está no nível terreno

Jesus veio a terra. Jesus falou em linguagem terrena, porque a solução deve está no mesmo nível em que o problema se encontra. Mas as pessoas estavam, estão com problemas psicológicos, e querem ser tratadas no nariz. Como podem ser curadas?

Conclusão:
Não há problema na luz! Onde quer que haja luz, ai não há problema, não há trevas. Onde quer que haja problema, trevas, ai não há luz.

Não existe problema na luz, todos os problemas são das trevas. A luz não é um problema. É a solução.

Onde existe luz não há problema algum, não há treva alguma. E sem problema , sem treva, onde existirá a necessidade de solução, onde haverá a necessidade de luz? A luz em si é a solução.




Edson Carmo – MEPB Castelo Encantado
Fortaleza, 14 de junho de 2007.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

SERMÃO - O QUE É SANTIDADE?


Sermão
Título: Seja um imitador de Deus
Texto Bíblico: Levítico 11: 44, 45

Introdução:
Muita gente confunde santidade com maquiagem. Por isso é preciso fazer distinção entre uma coisa e outra: Santidade é a beleza; maquiagem é o esconderijo da feiúra. Santidade é a luz; a maquiagem é o esconderijo das trevas.

Muita gente quer mostrar santidade através de maquiagens, tais como: roupas, dialetos religiosos, humildade fingida... – isso é um crime, um crime de estelionato.

Também é preciso entender que Santidade não é prisão; não é fruto de proibição. Santidade é o resultado de uma profunda transformação; da maior de todas as libertações.

01 – O que é santidade?
Teologicamente, a palavra santidade significa, separação do pecado. Uma pessoa santa, é uma pessoa separada do pecado e de sua corrupção.

Já etimologicamnete, a palavra Santidade é da mesma raiz da palavra São.

A palavra São, quer dizer: Sadio, salutar, reto, integro, justo, puro, sincero...

Santidade é um dos atributos de Deus. E Ele diz hoje para nós: “Sede Santo como Eu Sou Santo”.

02 – O que posso fazer para ser santo?
Santidade não é algo que você possa aprender na escola; não é um condicionamento físico que você possa desenvolver em uma academia; não é um título religioso que você possa receber por mérito próprio. Santidade vem de Deus! Santidade é o resultado de uma comunhão íntima com Deus.

O homem é pecador, o pecado faz do homem um doente, mas Deus é a cura; Deus é a Saúde. Se o homem deseja ser santo, como Deus é santo, então ele precisa levar Deus para dentro de si; levar o remédio, a saúde, a cura para dentro de si.

Para ser santo é preciso ficar são, saudável; é preciso largar, lançar fora, destruir as enfermidades espirituais. O mundo está doente, são muitas as suas epidemias. Existe o medo, o ódio, a mágoa, a cobiça, o egoísmo, a mentira..., existem muitos tipos de opressões, e o homem tem de se livrar de todas elas, no poder do Senhor.

Conclusão:
Todos querem morar no céu, mas é preciso saber que não é possível entrar no céu sem santidade. Em Hebreus 12:14, está escrito: “Segui a paz com todos é a santificação, sem a qual ninguém verá a Deus”



Edson Carmo
Fortaleza, 23 de junho de 2007.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

SERMÃO - COMO VENCER O MAL


Sermão
Tema: O Mal é derrota, o Bem é vitória
Texto Bíblico: Romanos 12 : 17 e 21.

Introdução:
É muito estranho, mas as pessoas só enfrentem o mal com o mal – você já observou isso? É por isso que o mal não acaba, pelo contrário, cresce.

Como você tem enfrentado o mal? Como você tem se comportado diante das afrontas? Como você tem se posicionado na luta? Você tem sido um perdedor ou um vencedor?

Para vencer o mal é preciso estar preparado. Você tem de estar preparado, pois muitos males ainda virão sobre você.

Estou insistindo na preparação, porque ela é necessária. Porque quando você for atacado com o mal, terá que se defender com o bem – se não quiser ser derrotado. Quando alguém lhe fizer o mal, você não poderá vencer se se defender com o mal.

Preste bastante atenção: É da vontade de Deus que não somente nossas ações sejam benignas, mas também nossas reações. Veja em seu derredor, muitas pessoas estão santificando suas ações, mas pecando em suas reações.

Andamento:

O que é o bem e o que é o mal? Meditemos um pouco sobre estas coisas, chamando o Bem de Luz e o Mal de Escuridão da alma.

Entendamos pelo menos três coisas:

A primeira coisa: A escuridão não passa de ausência de luz. A escuridão não têm existência em si mesma. Você não a vê, o que você vê é um buraco, um espaço, porque a luz não está presente.

Se a luz estiver, não há escuridão; se a luz não estiver, fica o buraco, o espaço. É isso que é escuridão: um espaço, um vazio, um buraco.

A escuridão é a ausência de luz e não a presença de alguma coisa. Por isso é que a luz vai e vem, mas a escuridão permanece. Os objetos vão e vem, mas o espaço permanece. Um espaço não é nada, mas ele permanece ali, a escuridão não é nada, mas ela permanece ali. Você pode trazer a luz, pode afastar a luz, mas não pode trazer a escuridão e não pode expulsar a escuridão. Ela está sempre ali, sem absolutamente existir.

A Segunda coisa: É que, por causa que a escuridão não existe, você não pode fazer nada contra ela. E, se tentar fazer algo, você será derrotado. A escuridão não pode ser derrotada, pois como pode derrotar algo que não existe?

A angustia do ser humano é que ele sempre luta contra a escuridão da alma, por isso sempre é derrotado. Quando ele é derrotado ele pensa: “A escuridão é muito poderosa, pois derrotou-me.” Mas isso é um absurdo! A escuridão não têm poder; como pode uma coisa que não existe ter poder? Você não é derrotado pela escuridão e seu poder, você é derrotado por ter lutado com aquilo que não existe. Como pode vencer uma coisa que não existe? Lembre-se: você está cansado e derrotado, porque está lutando com muitas coisas que não existe.

Os assim chamados religiosos, estão lutando contra a escuridão da alma, por isso não alcançam a sua libertação.

O ódio não é real, é apenas a ausência do amor.
A impiedade não é real, é apenas a ausência da compaixão.
A ignorância não é real, é apenas a ausência do saber.

Um religioso jamais poderá ter sucesso; é impossível que o tenha. Terá que ser derrotado, pois todo seu esforço é contra o que não existe.

É essa é a diferença entre o religioso e o Discípulo de Cristo: o religioso tenta lutar contra a escuridão e o Discípulo de Cristo busca se aprofundar na Luz.

Não se preocupe com a escuridão, mas busque se aprofundar na Luz. Onde a Luz estiver, a escuridão desaparecerá. Quando a Luz está, você não precisa fazer nada em relação a escuridão, porque a escuridão não estará.

Essa é a Segunda coisa: nada pode ser feito contra a escuridão, diretamente. Se deseja fazer algo com a escuridão, terá de fazer algo com a luz. Você não pode ligar e desligar a escuridão, não pode trazê-la, não pode expulsá-la. Se quiser fazer alguma coisa com a escuridão, deve fazê-lo por intermédio da luz, deve procurar o caminho certo.

Nunca lute com as coisas que não existem. A mente é tentada a lutar, e a atenção é perigosa: desperdiçará suas energias, sua vida e se desgastará. Não se deixe tentar pela mente; veja, simplesmente se algo tem existência real, ou se é apenas uma ausência. Se é uma ausência, não a combata, mas procure a coisa da qual ela é a ausência – e você estará, então, na pista certa.

A Terceira coisa: é que a escuridão está profundamente envolvida nesta vida de milhões de maneiras.

Sempre que você está magoado, a luz foi apagada dentro de você. Na verdade, você está magoado porque a luz desapareceu, em você ficou apenas trevas – um espaço vazio. Você só pode estar magoado quando você está na escuridão da alma; você não pode magoar-se na luz.

A natureza do perdão é exatamente igual à da luz e a natureza da mágoa é exatamente igual à da escuridão – você não pode ter ambas. Se tem a luz, não pode ter escuridão.

As pessoas perguntam: “O que faço para não me magoar”. Tais pessoas estão fazendo a pergunta errada; quando se faz uma pergunta errada dificilmente se consegue a resposta certa. Faça, primeiro, a pergunta certa. Não pergunte come afastar a escuridão, não pergunte come afastar as mágoas, as preocupações, a angustia, a ansiedade.

Analise sua mente, investigue e veja por que estes espaços vazios estão ali, porque a escuridão da alma está ali. Você saberá que ela está ali porque ali está faltando algo – e este algo é Deus.

Conclusão:
Quando alguém está mal, o que está acontecendo? Simplesmente o bem não está presente.

Quantas vezes você age sem Deus? Quantas vezes você fica sem Deus? E quando a luz não está em você, quem surge? Quando Deus não está em você, quem está, quem se move, quem age através de você?

Só existe uma guerra de verdade: A do bem contra o mal e vice-versa. Nesta guerra você precisa saber de uma coisa: O mal combatido com o mal, jamais poderá ser vencido e sim acrescido – lembre-se: o mal alimenta-se do mal. Preste atenção, a matemática é muito simples: mal + mal = mal em dobro.

Só há uma possibilidade de vencer o mal, só há uma arma capaz de vencer o mal: O bem.

Então não esqueça, nunca enfrente o mal com o mal. Sempre enfrente o mal com o bem. Você só pode vencer o mal com o bem!


Edson Carmo – MEPB Castelo Encantado
Fortaleza, 02 de agosto de 2007

SERMÃO - A ALEGRIA É UM FRUTO


SERMÃO

Texto bíblico: Gálatas 5:22

Introdução:

A alegria não é um fruto seu; não é você quem a cria. A Alegria vem do Espírito Santo – ela é fruto dEle.

Andamento:

01 – Você tem tentado fabricar alegria, não é?

O homem tem tentado criá-la, cultivá-la, mas o máximo que tem conseguido é uma efêmera e falsa alegria. Na verdade o que o homem tem conseguido é um prazer momentâneo, que nunca ultrapassa as fronteiras do corpo físico.

02 – O que você fabrica traz consigo prazer e agonia, não é?

O homem tem feito algo que consigo estão juntos – ligados e inseparáveis – o prazer e agonia. Quando o homem descobre isso, ele tenta abandoná-lo por causa da agonia, mas nunca consegue, porque não quer abrir mão dos seus prazeres. E esta é toda a sua miséria e também a sua desgraça.

Todos os prazeres do homem e todas as suas agonias estão relacionados intrinsecamente aquilo que ele fabrica. É por isso que o homem não pode livrar-se das suas agonias se não abrir mão dos seus prazeres.

A agonia e o prazer estão ligados intrinsecamente naquilo que o homem fabrica. É por isso que o homem não consegue ter paz e alegria, porque o homem quer abandonar a agonia, ao mesmo tempo em que quer preservar o prazer inerente.

Conclusão:

A Alegria vem do Espírito Santo de Deus. A única forma de possuí-la é entregando-se a Ele.

Você já se entregou?

Você pode fazer o que for, e esse será o seu fruto. Você pode brincar, cantar, celebrar, se divertir, rir... Tudo isso sem Deus será prazer momentâneo, mas depois virá o vazio, a agonia.

Lembre-se, se você for a uma festa a fim de ter alegria. Então isso não será absolutamente alegria, e sim o seu esforço – que não deixa de ser uma falsa alegria. Porque a Alegria do Espírito acontece mesmo em meio as grandes tribulações. Não é algo que eu possa fazer, é algo que Deus faz nascer em mim.





Edson Carmo
19/07/2009

SERMÃO - COMO NASCEM AS FALSAS RELIGIÕES


SERMÃO

TEMA: COMO NASCEM AS FALSAS RELIGIÕES
TEXTO BÍBLICO: JOÃO 3:1-9


INTRODUÇÃO:

EXISTEM DIFICULDADES MUITO GRANDES PARA A TRANSMISSÃO DO CONHECIMENTO ESPIRITUAL.

- UMA É QUE NÃO PODE SER EXPRESSADO ADEQUADAMENTE.
- A OUTRA É QUE AS PESSOAS CONSEGUEM OUVIR, MAS ISSO NÃO QUER DIZER QUE ENTENDEM.

VOCÊ ENTENDE O QUE OUVE? SEU ENTENDIMENTO É CORRETO?

ANDAMENTO:

01 – QUANDO VOCÊ NÃO ENTENDE CORRETAMENTE, VEM A HERESIA.

A HERESIA É UMA COMPREENSÃO EQUIVOCADA, A MÁ INTERPRETAÇÃO DAQUILO QUE SE OUVE.

02 – OU VOCÊ ENTENDE OU VOCÊ NÃO ENTENDE!

A HERESIA VEM DO FENÔMENO QUE HÁ ENTRE A COMPREENSÃO E A NÃO-COMPREENSÃO – ELA SEMPRE ESTÁ ENTRE ESTAS DUAS MARGENS.

03 – AS PESSOAS OUVEM AS PALAVRAS, ELAS CONHECEM AS PALAVRAS E POR CONHECÊ-LAS PENSAM QUE ESTÃO ENTENDENDO O SEU SENTIDO ESPIRITUAL.

DAÍ VEM TODOS OS EQUÍVOCOS, TODAS AS HERESIAS, TODAS AS FALSAS RELIGIÕES.

CONCLUSÃO:

NEM MESMO UM ERUDITO COMO NICODEMOS É CAPAR DE ENTENDER AS PALAVRAS DE JESUS. É POR ISSO QUE JESUS FEZ DISCÍPULOS, PARA QUE O ESPÍRITO TRADUZISSE AS PALAVRAS DE JESUS POR MEIO DELES.


Edson Carmo 18/06/2009

quinta-feira, 14 de maio de 2009

SERMÃO - O QUE CONTAMINA O HOMEM


SERMÃO
MATEUS 15:11

Introdução:

Os cinco sentidos existem e a mente é a coordenadora dos cinco. Quando você olha para mim e me ouve, ouve-me com os seus ouvidos e vê-me com os seus olhos. Mas, os olhos nunca vêem e os ouvidos nunca ouvem.

A mente é quem da significado as informações. A mente faz interpretação da informação recebida através da visão e da audição e apresenta a sua conclusão própria.

Andamento:

01 - Jesus disse:

- "Não é o que entra na tua boca que te envenena, o que te envenena é o que dela sai."

Se você é uma flor de lótus, nada para si é sujo. Se tiver a capacidade de ser uma flor de lótus, é porque detém o poder de transformar, o poder da alquimia. Nesse caso, pode permanecer na lama e ainda assim ser uma flor. Mas se não possuir essa capacidade, mesmo que viva mergulhado em ouro só produzirá lama.

O importante não é o que entra em ti. A questão é que, se estiver centrado em Deus, no amor, o que quer que entre em ti será transformado – adquire a qualidade do teu interior e sai.

02 - Foi-lhe dado veneno, mas o que dele brotou foi o amor. Esta é a alquimia.

Jesus quis dizer:

- "Não é o que entra na tua boca que te envenena – mesmo o veneno pode não te envenenar – o que te envenena é o que dela sai."

Tome consciência da forma como transforma as coisas, se alguém o insulta, se o alimenta com um insulto, isso não deverá corrompê-lo.

O que sai de ti nessas circunstâncias?
Como é que transforma esse insulto?
O que sai de ti é amor ou ódio?

03 - Jesus quis dizer:

- "Lembra-te sempre do que sai de ti, e não te preocupes com o que entra."

Se pensarmos continuamente no que entra, nunca conseguiremos desenvolver a capacidade da transformação.

O importante é o que sai de nós, e por isso que devemos ter sempre em mente que temos de transformar o que entra em nós.

Conclusão:

O que entra em nós não pode nos macular, porque o que quer que entre, entra no corpo. No entanto, tudo o que sai de nós vem impregnado da nossa qualidade, daquilo que é de fato o nosso ser.